A Boca é Um Portal Aberto

A boca é o portal por onde entram os nutrientes e por onde saem as palavras, então é bom não deixá-la de lado para não serem criados problemas sérios no estômago, nos pulmões e até no coração, por isso, muito mais que garantir um sorriso bonito, cuidar bem dos dentes indica boa saúde nos quatro cantos do organismo.

Dizem muitas pessoas que quem tem boca pode ir para o céu ou parainferno, e o destino depende da atenção reservada para a boca no dia-a-dia.

Existem alguns mandamentos que a gente conhece tão bem, mas nem sempre segue à corretamente, não são apenas indispensáveis à preservação da língua, da gengiva e de cada um dos dentes, serve para tudo.

Os mandamentos também ajudam a evitar infortúnios em outras partes do corpo, é lógico que tem quem pense que isso é um exagero, mas não é exagero não, pois uma saúde bucal deficiente repercute em cheio nos vasos sangüíneos, nas articulações e em órgãos que, aparentemente, não mantêm íntimo contato com os dentes.

Não é possível tratar a boca de maneira isolada, pois fazendo pesquisas é possível notar que a maioria dos estragos que são encontrado numa boca é protagonizada por uma infinidade de bactérias.

Na verdade, a cavidade bucal é um verdadeiro banquete para os microorganismos, e tem que ser feita justiça, nem todos eles são malignos, na cavidade bucal existe uma flora bacteriana que é essencial para a digestão dos alimentos.

O problema é quando a escova e o fio dental são deixados de lado, então os micróbios nocivos que estão por trás das cáries, da gengivite e da periodontite, proliferam-se e levam ao caos uma boca inteira.

Mesmo em uma boca saudável, existem 200 milhões de microorganismos em 1 grama de placa bacteriana, conta o periodontista Antonio Sallum, professor da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), que é vinculada à Unicamp, se a boca estiver a caminho da desgraça, o número pode chegar a casa do bilhão, e é claro que as ameaças também se multiplicam.

Se a gente comer e se esquecer da higiene bucal, poucas horas serão suficientes para a formação da famigerada placa bacteriana.

Num processo contínuo, micróbios e mais micróbios se unem para monopolizar os dentes e a gengiva, e é assim que a placa, também chamada biofilme, torna-se mais espessa, chegando às vezes ao ponto de ser vista a olho nu.

Se nada for feito, as bactérias vilãs passam a subjugar as espécies do bem, e a placa propicia o aparecimento de dois problemas: a cárie e a doença periodontal.

A cárie é gerada pela bactéria Streptococcus mutans, ela mina aos poucos o próprio dente, a doença periodontal começa como uma gengivite e evoluí para uma periodontite, e é bem mais assustadora, pois ela acaba com toda a estrutura que liga o dente à gengiva e ao tecido ósseo.

A doença periodontal é mais assustadora, porque a cárie provoca dor e a doença periodontal não, no início da doença, só produz sangramentos na gengiva, ou seja, poucos lhe dão a devida atenção.

São mais de 100 tipos de micróbios envolvidos com a patologia, que, se não for tratada a tempo, faz os dentes desabarem, a doença periodontal é silenciosa e suas bactérias são mais agressivas, é de ficar assustado com a estimativa da incidência do problema no Brasil, pois a cada 10 brasileiros adultos, oito deles têm desde uma gengivite até seu estágio avançado, a periodontite.

As bactérias traiçoeiras fazem das lesões na gengiva e da corrosão do espaço entre dente e osso o seu portão de embarque para a corrente sangüínea, alguns tipos mais terríveis podem viajar até o coração, onde simplesmente estacionam.

É por isso que a doença periodontal aumenta o risco de problemas cardiovasculares, pior ainda é para quem já tem algum defeito em uma válvula cardíaca, uma pessoa dessas fica muito sujeita a ter a endocardite.

Segundo contam os especialistas, de cada dez pacientes com essa doença de alta mortalidade, quatro ou cinco têm as bactérias na cavidade bucal, é no mínimo asustador.

Outra constatação recente é que pessoas com níveis de colesterol e triglicérides elevados podem ser reféns do ataque desses micróbios nas artérias, existem trabalhos recentes demonstrando que algumas bactérias colaboram na formação de placas nos vasos sangüíneos, agravando o entupimento provocado pela gordura, com isso as bactérias se tornam o gatilho para o começo de um infarto ou um derrame.