O Fim da Guerra Fria

A década de 70 caracterizou-se pelo início de esgotamento da estrutura de domínio implantada no pós-Segunda Guerra.

A Guerra Fria não tinha mais como ser sustentada, pois os gastos com a corrida armamentista escaparam da área ideológica que envolvia as duas superpotências, e começavam a afetar a economia, principalmente o comércio mundial.

Além de outras situações como as crises do petróleo em 1973/1979, a reação da Polônia contra o poder de Moscou, criando o Solidariedade, menos comentados sobre a época, mas de fundamental importância para compreendermos estas mudanças e seus resultados nas décadas seguintes são os fatos posteriores: a) Os EUA perceberam que apesar de toda a tecnologia, poder bélico e capacidade de sua força armada foram sendo derrotados no Vietnã, a derrota militar resulta numa derrota quanto à opinião pública mundial, e principalmente quanto à opinião pública da sociedade norte-americana, despencando no escândalo do Watergate, que acaba forçando Nixon a renunciar à presidência dos EUA.

Percebendo esta derrota, e antes da renúncia do presidente, os EUA abandonam os princípios econômicos da Doutrina Truman e adota a Doutrina Nixon, substituindo o câmbio, dólar – ouro/fixo, pelo câmbio, dólar flutuante – os EUA não assumem mais a equivalência dólar-ouro, ao mesmo tempo em que eleva os juros internacionais, resultando num inchaço das dívidas externas do Terceiro Mundo e provocando um esgotamento dos regimes autoritários, principalmente na América Latina, África e Ásia Tropical, era o desgaste da Operação Condor.

b) A URSS começa a Guerra do Afeganistão, e podemos dizer que esta guerra significou o Vietnã para a União Soviética, a derrota fragorosa dos soviéticos acelerou o fim do socialismo real, ao mesmo tempo que utilizando como justificativa o fundamentalismo islâmico.

O Talibã conquista o poder no Afeganistão, e revela para o mundo em até que ponto o radicalismo ou extremismo pode chegar.

Um pouco diferente do Vietnã, a posição geográfica do Afeganistão é mais do que importante para o mundo globalizado, pois é uma das áreas fundamentais para a integração entre a Europa e a Ásia, e com o fim do socialismo real (URSS), o grande confronto é entre a tendência global do capitalismo e o mundo islâmico.

Somando estes e outros fatores, a URSS chegou na década de 80 com agravamento da sua situação interna, sendo obrigada a implantar a reestruturação econômica (Perestroika) e a transparência política (Glasnost).

Tentando sobreviver como superpotência entra por um processo inicialmente lento e gradual, mas que acaba fugindo do controle do Estado, até que em 25 de dezembro de 1991, desaparece como nação organizada à figura da União Soviética, é o término da transição, pois acaba a Guerra Fria e continua avançando a globalização.