Batalhas Verbais 1ª Parte

Para qualquer tipo de batalha é preciso preparação, e assim poderá ir partindo direto para o ataque.

A preparação para uma batalha verbal consiste no conhecimento das falhas e do que fica fácil de ser deduzido através dos movimentos e procedimentos de quem mente, com isso fica evidente que se for usado um sistema de questionamentos bem elaborado, as respostas farão com que qualquer pessoa fale a verdade em apenas alguns minutos, em qualquer conversa ou em qualquer situação.

Basta saber os movimentos de quem mente, e sabendo desses detalhes, é só se armar com as melhores munições, e qualquer batalha verbal terá resultados verdadeiramente surpreendentes.

Mas tem algo que é de muita importância: Não esqueça de observar as respostas inconscientes, ou seja, as respostas não verbais, e lembre-se que a cada resposta, um sinal, um gesto, um movimento, ou uma ação qualquer faz parte da resposta.

Por isso, logo no início, ataque mas não acuse, o objetivo do ataque inicial é fazer uma pergunta que não pareça ou que não represente nenhuma acusação, mas que insinue algum tipo de comportamento da pessoa.

Com um exemplo seria mais fácil compreender, então vamos a um fato que pode ser facilmente desvendada a verdade, que tal a suspeita de traição como exemplo? Nessa situação você suspeita que seu par lhe traiu na noite passada, parece óbvio fazer a pergunta: Você me traiu ontem a noite?

Com uma pergunta dessa forma, a outra parte irá responder apenas sim ou não, e pouco deixa para ser observado.

Com uma pergunta direta, mas com pouco objetivo, existe a expressão corporal e alguma possível pista de preocupação, e talvez um certo nervosismo, então uma sugestão de pergunta correta é perguntar se: Aconteceu alguma coisa diferente na noite passada?.

No caso de existir algum tipo de culpa, qualquer que seja a resposta, ela será seguida de um certo nervosismo, indicando forte preocupação por parte da pessoa, é bem possível que a resposta seja parecida com “Porque perguntou isso?” ou Alguém te contou alguma coisa?

Nesse tipo de resposta já existe a evidência do fato ocorrido, mas com um “não” puro e simples como resposta, dificilmente você iria notar algum tipo de preocupação, e nem a outra parte estaria preocupada em saber porque você está fazendo esse tipo de pergunta, a menos que pense que você pode estar sabendo o que ela não quer que você saiba.