Comportamento Neutro

Um bom exemplo para perceber a diferença entre Handling e Grip é imaginar um carro de Fórmula 1 com pneus de bicicleta, continuaria a ser um excelente carro, com um comportamento muito saudável e eficiente, mas não poderia fazer as curvas mais rápido do que um carro convencional, ou seja não teria o atrito (grip) suficiente para se manter firme na estrada.

Por outro lado, um carro que pode fazer uma curva sobre o chassi, apresenta o que podemos chamar de comportamento neutro com alta capacidade para fazer curvas.

Mas se for encurtada a distância entre o chassi, e por conseqüência, (entre as rodas também), a capacidade de fazer curvas é diminuída na mesma medida, apesar das condições de Grip se manterem intactas.

Mas quando se fala em suspensão, normalmente queremos chegar ao rebaixamento do carro, e porque fazer.

E para quem rebaixa quanto mais baixo melhor, porque se o carro tiver um centro de gravidade alto vai ter maior tendência para o rolamento e, portanto menor eficiência para manter os níveis de aderência.

Seguindo esta regra, tem quem afirme que quanto mais baixo melhor, mas não é bem assim, para utilização em estrada normal não convém abusar, pois o comportamento do carro melhora, mas pode provocar esgotamentos nervosos pela má qualidade das nossas estradas, e o que poderia ser bom pode até tornar em mau.

Quem tem bom senso sabe que se deve rebaixar o suficiente para fazer diferença, mas manter sempre a altura necessária para passar por cima de uma pedra da calçada, o rebaixamento consiste em instalar molas mais curtas, o que torna o carro mais sujeito a bater com o cárter em obstáculos pelas estradas.