Economizando Freios

Um carro “personalizado” tem lá seus atrativos, na verdade o processo de “tunagem” começa por alterações no aspecto visual, e depois alguns “enxertos” mecânicos também são feitos, e digamos que esses carros ficam “siliconados”, e assim, por onde passam não ficam despercebidos, obviamente que para muitos ser notado por onde passa pode representar uma vantagem, mas sinceramente, prefiro ser e estar discreto, afinal, não é preciso que um bando de curiosos fique sabendo quem “pegou quem”, mas, cada caso é um caso.

Ter um carro bonito e todo incrementado é interessante sim, e escolher o combustível certo também é importante, assim o desempenho máximo é conseguido, e em alta velocidade existe algo que é tão ou até mais importante que o motor e seu desempenho: são os freios, afinal, acelerar cada vez mais é fácil, parar é que são elas.

Em lugares planos os freios já tem bastante importância, mas nas descidas de morros e ladeiras eles são responsáveis por manter o carro na estrada, é lógico que a ajuda do motor também é importante, só que não para tracionar o carro, mas sim para ajudar a manter a velocidade estável juntamente com os freios.

Tem gente que acha que economiza combustível quando desce uma ladeira com a marcha em ponto morto, além de ser arriscado sob o ponto de vista da segurança, quando uma marcha for engatada, o combustível que foi economizado será consumido com o giro do motor, além do risco da velocidade ser maior do que a capacidade da marcha que o motorista deseja engatar, isso se conseguir engatar alguma marcha.

O correto é descer a ladeira com a caixa de câmbio engrenada na mesma marcha com a qual subiu a ladeira, não é recomendável utilizar o ponto morto nas descidas porque os freios podem ser insuficientes para segurar o veículo em uma situação de emergência.

Descer morros e ladeiras com a marcha em “ponto morto” é um alto risco de segurança, pois na hora de uma necessidade real onde seja necessário pisar forte nos freios, o grande esforço dos freios leva os discos e pastilhas ao superaquecimento e o carro pode ficar totalmente sem freios.

As pastilhas e discos de freios devem passar por revisões periódicas, preferencialmente quando é feita a revisão de motor onde devem ser conferidos todos os itens, e pelo menos uma vez por mês o nível do fluído de freio deve ser conferido, e se tiver que completá-lo, cuidado para não deixar cair nenhuma partícula de sujeira.

Quando se trata de freios, deve-se ter o mesmo, ou até cuidado maior, pois qualquer resíduo pode comprometer o perfeito funcionamento do sistema de freios.

O sistema de freios pode durar muito tempo mas depende do motorista, evitar freadas bruscas faz com que discos e pastilhas tenham longa duração, outras atitudes que ajudam os freios a terem longa durabilidade é ao aproximar o carro de cruzamentos e semáforos tirar o pé do acelerador e manter a marcha engatada para que o motor diminua a velocidade do carro.