Fiscalizar é Bom Mas…..

Quantas vezes você já viu alguém num supermercado fiscalizando detalhe por detalhe a data de validade de produtos na hora de comprar? Claro que é um direito fiscalizar se a mercadoria está dentro do prazo de validade.

É legal todo esse cuidado com a mercadoria que vai ser comprada, afinal, se tiver com prazo de validade vencido pode fazer mal, e tem gente que é tão detalhista que se um número da data de fabricação ou da data de validade estiver meio apagado procura o gerente do supermercado e faz aquela “muvuca”.

Comecei a escrever esse texto porque acho uma contradição inexplicável, afinal, tanto cuidado de um lado e tanto desleixo de outro, o exemplo é de uma cena que assisti num supermercado da região.

Vou resumir: Uma senhora bem vestida entra no supermercado e anda pelo corredor, antes de colocar a mercadoria no carrinho ela observa as datas de validade de cada uma das mercadorias que pretende levar.

A contradição é que tanto cuidado não serve para absolutamente nada, pois o cuidado além de inútil é exagerado e vai por água abaixo pelo fato de aquela senhora estar com um cigarro acesso e entre uma conferência e outra leva o cigarro até a boca e dá “aquela tragada”.

O fato chamou minha atenção porque não gosto de cigarros, a fumaça me incomoda e me transforma em um fumante passivo, e como todos sabem, para quem não fuma o estrago é até maior.

Além disso, quando um funcionário informou com toda calma e educação que na área interna do supermercado não era permitido fumar, a distinta senhora se transformou num “bicho”, fez um baita escândalo, e destratou moralmente o coitado do funcionário.

Sob meu ponto de vista, a contradição é porque existe um cuidado que realmente devemos ter em relação aos prazos de validade dos alimentos, isso está estampado em qualquer lugar, mas não existe nenhum cuidado em relação ao consumo de cigarro, nem com a própria pessoa nem com as pessoas que estão ao redor.

A atitude dessa senhora não foi nada exemplar, mas ela não é a única que faz exatamente a mesma coisa, talvez sem tanto exagero outras pessoas façam a mesma coisa, e ter cuidado para não ser picado por uma cobra venenosa e ser picado por um escorpião pode não ser azar, pode ser descuido.

Será que uma mercadoria com prazo de validade vencido causa mais dano ao corpo do que fumar uma carteira de cigarros? Acho uma contradição ser tão severo de um lado e tão desleixado de outro lado.

E você é igual a senhora distinta ou é uma pessoa que age com bom senso em todas as situações?