Assírios no Caminho

Os assírios, que segundo o poeta Byron “abatiam-se igual um lobo sobre o rebanho”, dominaram o Oriente Médio por muitos séculos.

Descritos como um dos povos mais cruéis da história, massacravam populações inteiras ou destruíam deliberadamente tribos e seus vínculos locais.

Em 745 antes de Cristo, Tiglath-Pileser III, da Assíria, subiu ao poder e passou a dominar a Analólia, a Síria e Israel.

Expandiu seu império conquistando e isolando Estados menores, forçando-os a lhe pagar tributos, e isolou o Egito comercial e militarmente no Levante.

Tiglath-Pileser, conhecido na Bíblia como um dos maiores líderes militares da história mundial estabeleceu um Estado unificado com 80 governadores de províncias, que se reportavam diretamente a ele, seu rei.

Em 728 antes de Cristo, Ukin-zerda Babilônia se rebelou, levando Tiglath-Pileser a derrotá-lo e a assumir o trono babilônio.

Mesmo depois de sua morte, dois anos mais tarde, o domínio e a agressão assírios continuaram.

Tiglath-Pileser, ou seu sucessor Salmanasar foi o responsável pelo exílio dos judeus para a Babilônia em 722 antes de Cristo.

Os baixos-relevos e murais de Nimrud, capital de Tiglath-Pileser, mostram um formidável exército de infantaria portando armas de ferro numa época em que a maioria dos exércitos ainda usava o bronze.