Sem Hidrantes em Itajaí

Com os ataques criminosos que aconteceram em Santa Catarina ficou mais uma lição relativa a segurança pública e também ficaram evidentes detalhes na segurança pública a serem melhorados, no geral há que ser elogiado o comportamento das instituições ligadas a segurança, houve resposta imediata e o serviço de inteligência detectou a origem das ordens, tomando as devidas providências.

Itajaí não escapou dos ataques, todos os órgãos envolvidos atuaram rapidamente, mas um desses órgãos teve seu trabalho prejudicado, embora não seja visto como tal, o Corpo de Bombeiros é essencial em qualquer incêndio, e os ataques tinham como meta o terror da população através dos incêndios.

A cada chamado os bombeiros foram eficientes, mas poderiam ter seu trabalho agilizado para os próximos incêndios, afinal, a prevenção ainda é o melhor remédio, e nunca se sabe o quanto de água será necessário.

Em Itajaí existe uma enorme defasagem em relação aos hidrantes, esse fato foi citado pelo comando do Copo de Bombeiros de Itajaí em entrevista ao apresentador Denísio Dolásio Baixo no jornal da TV Brasil Esperança, e foi tema de comentários do mesmo apresentador em outras oportunidades.

Não tenho como fazer um levantamento de quantos hidrantes existem na cidade de Itajaí, mas fiz do bairro onde conheço bem, que é o bairro Cidade Nova, esse tem aproximadamente 7 mil residências  e tem dois hidrantes, um deles nitidamente estragado e ou outro, pelo fato de instalação recente estar funcionando, quanto a ter água é um tanto duvidoso.

Esse da imagem acima parece em boas condições, ele está na rua Agilio Cunha em frente ao posto de saúde, mas ao observar com cuidado nota-se que ele não funciona, veja imagem abaixo:

O outro hidrante está na rua Maria Marcos Werner (acho que só eu conheço essa rua), é no loteamento Avelino Werner III.

Esse hidrante nem o Corpo de Bombeiros sabe que existe, além do mais, se for confiar nele é atrasar serviço, pois nessa região do bairro a falta de água nas torneiras ou a falta de pressão é uma constante.

Em resumo, dois hidrantes (um estragado e outro desconhecido do CB) para uma população de quase 30 mil habitantes no bairro, e com a base do Corpo de Bombeiros a quatro quilômetros de distância, é preciso melhorar as condições e a localização desses hidrantes.

Não sei qual é o órgão responsável por disponibilizar hidrantes, mas ao abrir a discussão sobre esse assunto de vital importância para a segurança da população em geral saberemos quem é o responsável e poderemos cobrar as ações necessárias para a solução da falta de hidrantes em locais estratégicos, e principalmente, que estejam sempre funcionando.