Sobre as Lombadas Físicas

Lombadas físicas são proibidas pelo CNT, mas em Itajaí existe uma regra maldita, basta que um pedestre se cague e escorregue no próprio excremento para vir o órgão de trânsito fazer a instalação de uma lombada física.

Quando se instala uma lombada física a desculpa é que vai fazer os motoristas respeitarem a velocidade naquele local e que eles e somente eles é que são os mal educados, eu tenho uma visão diferente, para mim é o órgão de trânsito que é incompetente, que punam os que erram e somente os que erram e não a todos indiscriminadamente.

Os erros não são só dos condutores de veículos, na prática os erros deveriam ser divididos proporcionalmente segundo a sua culpa, condutores erram e pedestres e ciclistas erram e são abusados, folgados e inconsequentes.

Um caso clássico é a de invasão da via preferencial por outro veículo ou por ciclistas e pedestres, sabendo que a preferência é minha não tem porque eu esperar para ver qual é a atitude do outro, mas é exatamente nessa decisão que mora o perigo.

Itajaí parece um camelo de várias corcovas, na prática essa situação pune exatamente os veículos mais lentos, para um veículo rápido a escolha é entre frear forte e afundar a frente do veículo na lombada, o desgaste das peças é menor se passar acelerando em alta velocidade.

No caso das motocicletas nem se fala, lombadas físicas para motocicletas não são obstáculos, são é divertimento, agora a pergunta é: o que isso ajuda aos pedestres? A minha resposta é “em nada”, só dá a falsa sensação de segurança.

Os veículos mais lentos são os veículos de carga, esses geralmente são pesados e quando passam sobre uma lombada física fazem o chão tremer a centenas de metros devido ao terreno do qual é constituído o solo de Itajaí.

Nessas “tremidas de terra” racham casas e a própria via pública vai afundando, mas o prejuízo maior fica para o dono do veículo, a cada passagem por uma lombada física há um desgaste mecânico que vai acumulando e gera custos, que inevitavelmente serão repassados para os consumidores.

Ainda tem algo pior: “Quem nunca se deparou com uma lombada não sinalizada?”, e normalmente isso acontece numa via totalmente as escuras.

Existe algo ainda mais grave que é o transporte de pacientes, pois não dá para deixar de imaginar um paciente em estado grave sendo transportado por uma ambulância, o que o motorista deverá fazer?

Deve passar a toda velocidade e correr os riscos relacionados ao estado clínico do paciente ou perder um tempo precioso a cada lombada física que for encontrada no trajeto até o hospital ou pronto socorro?

Não tem como considerar o nosso dia-a-dia sem emergências, esse maldito obstáculo faz um mal danado a toda a sociedade, mesmo assim o poder público insiste nessa prática maldita, desrespeitando inclusive a Lei Federal.

Meu ponto de vista é que deve existir fiscalização e punição, mas somente para quem não respeita a velocidade da via, ao invés de encher de lombadas físicas que sejam utilizados meios eletrônicos, que atualmente não custam os olhos da cara conforme dizem.

O poder público não tem o direito de destruir o meu veículo e eu ficar calado, o que falta é a união dos motoristas para que sejam removidas todas as lombadas físicas das ruas da cidade.

Pense que você esteja numa ambulância de última geração equipada com UTI móvel e um médico tentando lhe aplicar uma injeção ou fazer outro procedimento, e nesse exato instante o motorista da ambulância precisa frear porque há uma lombada física logo a frente.

Algo parecido seria a polícia tentando capturar um bandido, quanto de tempo se perde nas lombadas fisícas? Se fossem lombadas eletrônicas a punição ao infrator serviria de prova do descumprimento da Lei.

As lombadas não são instaladas para nada, a função é a de forçar o motorista a reduzir a velocidade em locais onde se julga necessário, mas não se aplica a automóveis rápidos e motocicletas e muito menos ao motorista que não é cidadão.

No entanto, pune a todos, imaginem um caminhão carregado com 30 toneladas tendo que frear a cada lombada e depois acelerar a pleno para retomar velocidade, quanto não se gasta de freios e combustível? Isso para não citar os desgastes mecânicos, e na ponta quem vai pagar é o consumidor, e depois reclamam de mercadorias caras.

É preciso parar de dizer que só o motorista é o culpado, todos são culpados, e para finalizar vou adaptar um ditado popular: “Diga-me se nas ruas de tua cidade existem lombadas físicas e quantas existem, e eu te direi o quanto tua cidade é desenvolvida”.