Fim de Relacionamento

Hoje mais um relacionamento em que eu era uma das partes foi desfeito.

Cansei de ser roubado, ela me roubava quase que diariamente, e sobre as provas, eu tenho.

Argumentei e sempre me sujeitei aos seus caprichos e regras por longo período, as vezes por pura comodidade, era mais fácil aceitar a situação do que procurar uma solução.

Era sempre ela que tinha razão, as coisas eram e tinham que ser sempre do jeito dela.

E quando eu lhe pedia algum dinheiro emprestado, ela negava ou queria receber em dobro, um absurdo.

Na minha carta de pedido de divórcio listei a maioria das coisas que me desapontaram, como taxas mensais para manutenção duplicadas, cobrança por serviços já incluídos numa cesta de serviços, e várias outros tipos de cobrança que aconteceram.

Planejei tudo, deixei a conta com saldo zero para que nada pudesse ser descontado em conta, no máximo, se quisessem cobrar alguma coisa teriam que emitir um boleto ou algum tipo de documento que provaria a cobrança duplicada da taxa de manutenção da conta mais esse mês, mas eles são espertos, não cobraram as taxas desse mês.

Hoje cheguei decidido, aguardei pacientemente a minha vez, foi quando me aproximei da mesa do atendente e de cara quebrei o cartão para mostrar que minha decisão não teria volta, devolvi as folhas de cheques restantes e apresentei a carta solicitando a separação, digo, o encerramento da minha conta corrente PJ.

O atendente pacientemente leu o requerimento de uma folha A4, acho que mais de uma vez e foi até a gerente, aí senti um enorme orgulho de mim mesmo quando a gerente Kátia disse para o atendente: “Não há o que argumentar, ele tem e vai ter todas as respostas.”

E assim foi formalizada a minha separação da caixa econômica federal depois de mais de 10 anos, como fundamentei bem os fatos que aconteceram e que não deveriam acontecer com os clientes, não houve brecha para que ofertassem alguma coisa com o objetivo de mudar o meu objetivo.

Foram muitas coisas que aconteceram, desde o acesso ao banco em si, cobranças indevidas e que demoram para ser resolvidas, isso são, até bloqueio de acesso a conta pela internet onde mais de 95% das operações eram realizadas, causando stress, constrangimentos e prejuízos.

Além disso, é muito caro em torno de R$ 100.00 por mês para manter uma conta que só o banco tem benefícios, afinal, ao emitir um cheque, quem pensa que o processo de creditar na conta destino é o único processo, engana-se, e muito.

A cada cheque compensado, uma verificação é feita para ver se quem recebe o crédito é bom cliente, se movimente grandes quantias, e se for cliente de outro banco certamente será “convidado” a ser cliente do banco, porque o que interessa é dinheiro, é movimento de dinheiro, é essa a mercadoria que os bancos tem.

Escrevi esse texto em tom de brincadeira, mas a coisa é muito séria se for levada para o lado econômico pelo qual passamos.
Adeus sua caixa ingrata!