Planta Cura Tudo

Nos tempos antigos, os gregos e os romanos acreditavam que existia uma planta chamada panacéia, na verdade, a panacéia é uma planta imaginária, mas a ela se atribuía as propriedades de curar todas as doenças.

A panacéia, para eles, era um remédio universal contra os males físicos e mentais, e depois de tanto tempo, essa mesma planta, está ao alcance de todos.

Para chegar até nós, partiu há uns 500 anos de uma região chamada pelos árabes de Curdistão, essa cidade fica localizada na Ásia Média.

O sumo do fruto da panacéia universal contém grandes quantidades concentradas de ácido ascórbico, que é o constituinte ativo da vitamina C.

O seu maior teor é o de ácido cítrico, é um tipo de ácido inofensivo, mas a palavra ácido desperta medo em muitos, alguns afirmam que até o ácido natural causa desgastes no organismo.

Claro que dizem isso porque desconhecem suas propriedades, o ácido cítrico é um ácido vegetal, como tartárico, o málico, o oxálico etc., contidos nos vegetais, e em si mesmo inofensivos ao organismo, quando não, excessivamente benéficos.

Os ácidos existem na natureza em combinação com os álcalis, o que a química faz é separá-los por processo de laboratório.

O espírito humano, procurou pelas conclusões usá-los em separado no tratamento das moléstias, porém, os resultados não foram os esperados, pois a natureza tem sua composição biológica e não é possível modificar um elemento contrariando as leis da vida, e as leis da natureza.

Os ácidos em seu estado natural, combinados com os álcalis, tem um poder doador de vida que ao homem não é permitido imitar, e muito menos simplificar, sem alterar seus efeitos vitais.

Um dos graves êrros da ciência curativa, no estágio atual das grandes conquistas do campo químico, reside no fato de que os produtos sintéticos são, em si, desprovidos de vida, de força magnética e vitalizadora oriunda dos raios solares, e que só os frutos possuem pela fotossíntese.

A análise química do fruto que é citado neste texto, dá as seguintes porcentagens, água fisiológica, 86%, Albumina 0.5%, Gorduras 0.5%, Hidratos de Carbono, 9%, Sais Minerais 2%, Celulose 2 %, e com todas essas propriedades químicas, o campo de ação curativa é vastíssimo, alcançando todo o corpo humano.

Considerando seu importante trabalho, a panacéia desempenha um grande papel como destruidor de ácidos no estômago, contra acidificação e outras enfermidades, mas falta dizer muito para esgotar seu extraordinário poder de regeneração da vitalidade humana.

A panacéia é a maior inimiga de todas as substâncias prejudiciais ao organismo, não importando em que lugar, órgãos e tecidos se tenham acumulado ou agido nefastamente, pois as combate enérgicamente.

Onde falham todos os demais meios em virtude da resistência das substâncias nocivas, é muitas vezes a panacéia o único remédio que pode operar curas realmente milagrosas.

Como se sabe, a maioria das enfermidades é causada pela acidificação do sangue, do corpo e de seus órgãos, especialmente os excretores que são os rins, o intestino e a pele, pela retenção de toxinas e humores nocivos à sua vitalidade, e é com o emprego da panacéia vegetal, que é o nosso conhecidíssimo limão, que, podem ser debeladas de vez.