O Limite do Homem

“O limite do homem é o limite de seus sonhos” , esta frase é de autoria de John F. Kennedy

Acredito que esta frase faça um resumo no que se refere a sonhos.

Pois somos do tamanho dos nossos sonhos, é claro que não basta sonhar alto e realizar baixo, mas tudo começa com um sonho.

O que sonhamos para nós é o primeiro passo para grandes realizações.

Podemos formar em nossa mente imagens de algo que queremos, de um futuro desejoso.

O sonho é tão importante quanto a ar e a água, pois quando não os temos, morremos.

Costuma-se dizer que “quem não sonha, já está morto”, portanto, sonhar nos deixa vivos, alertas, ligados e com a esperança sempre acesa.

A nossa mente vai fazendo registros de coisas positivas, as quais servem de alimento para ações, atitudes e estas, por conseguinte, para as realizações.

Cada vez que alguém abandona o seu sonho, está abandonando a si próprio.

Se olharmos a trajetória das pessoas de sucesso, dos grandes empreendedores, dos que influenciaram na trajetória do mundo – Ghandi, Santos Dumont, Com. Rolim Amaro, Madre Teresa, Walt Disney, Sílvio Santos, Barão de Mauá, Enzo Matarazzo, Airton Senna, Beto Carrero, Martin Luther King, vamos observar algo em comum neles: A capacidade de sonhar, de preferência alto.

Acredito que não temos o direito de sermos pobres em relação aos nossos sonhos.

Deus não nos deu tanta capacidade e inteligência para ser gasta em sonhos foscos, seria um desperdício.

Sonhar alto ou baixo, não é uma questão de certo ou errado, mas ao sonharmos baixo, estamos subestimando o nosso potencial.

Devemos ter a coragem de sonhar sonhos que brilhem e que desafiem o nosso potencial, nos motivando e nos levando a um mundo de possibilidades e não de limitações.

Estes sonhos recarregam nossas baterias, nos impulsionando e nos dando sentido à vida.

Estaremos motivados, pois sabemos que temos para onde canalizar nosso talento e inteligência.

Sonhos altos ou baixos, a opção é sua, só o que não vale, é não sonhar.

Os sonhos não têm limite, uma vez que quando alcançamos um, logo se faz necessário um outro sonho para alimentar a alma e enriquecer a vida.

Isso vale tanto para a área pessoal, quanto para a profissional, mas para realizar um sonho, é necessário que acreditemos firme e ardentemente nele.

E para que isso possa ocorrer, é imperativo que acreditemos, em primeiro lugar, em nós mesmos e que esse sonho seja nosso.

Ninguém deveria sonhar o sonho de outra pessoa, pois não seria algo genuíno, verdadeiro e forte.

Por isso mesmo teria poucas chances de se realizar e se isso, por um acaso, acontecesse, provavelmente não traria realização plena.

Na infância e na juventude temos muitos sonhos, temos mil idéias e planos.

Não vemos obstáculos e não temos medo, nossa mente está livre e aberta, nós ainda não nos impusemos limites.
A vida vai passando e muitos desses sonhos, senão todos, vão parar em depósitos ou porões esquecidos da nossa mente.
Muitas pessoas estão deixando de sonhar, ou deixando os seus sonhos para “amanhã” e isso ocorre em todas as faixas etárias.

Por exemplo: existem jovens, na verdade envelhecidos, de 17, 18 anos que já perderam a capacidade de sonhar e que se entregam à rotina do dia-a-dia, simplesmente deixando a vida passar, não vêem perspectivas para suas vidas.

Entretanto, existem também pessoas de mais idade, 50, 60 ou mais, que continuam abastecendo sua alma de sonhos.

Seus olhos continuam brilhando e sua energia plena para novas realizações.

Talvez não seja o tempo que passa, mas nós é que esquecemos de sonhar, esquecemos que viver a aventura de realizar sonhos.

O que nos atrapalha e nos impede de sonhar?

Quais as desculpas que arrumamos para, em vez de sonhar, apenas dormir.

Porque não temos o hábito de sonhar?