Um Pouco Sobre Chulé

O odor dos pés e das axilas tem provocado vários problemas na vida das pessoas, e não é só da pessoa que tem problema com o odor, mas ela é a primeira a se distanciar dos amigos, geralmente por educação os amigos quando estão próximos disfarçam dizendo que não é nada, mas ficam espirrando e mexendo no nariz.

A evidência do afastamento pode ser percebida com facilidade, quem tem o problema, geralmente ao pegar um ônibus, por impulso sempre procura sentar-se em cadeira individual, existem muitos casos que dermatologistas são procurados, gasta-se muito dinheiro com vários remédios mas o problema continua, e tem quem chega a fazer terapia, até relacionamentos são interrompidos por medo de rejeição quando o(a) parceiro(a) descobrir que existe o problema.

As saídas de casa para passear vão ficando cada vez mais raras, e até nas escolas o “paciente” fica isolado dos demais colegas por conta do problema, no emprego certamente que tem gente que acha tudo esquisito por não serem permitidas aproximações, enfim, é um problema grave e que causa sérios problemas na vida de uma pessoa.

Existem casos onde o problema não está nos pés e nem nas axilas, está na cabeça, é que tem gente pelo mundo afora que é fascinada pelos pés.

Fascinação e odores à parte, a Bromidrose é o suor com cheiro desagradável, que ocorre nas axilas ou nos pés, e tem como causa a atuação das bactérias presentes nestas regiões sobre o suor, que provocam o odor característico.

A manifestação clínica é o odor fétido exalado por estas regiões do corpo após situações que provoquem a sudorese, nos pés, podem acompanhar um aspecto esbranquiçado da pele ou descamação da pele.

Para evitar a bromidrose, algumas orientações devem ser seguidas:.

Lavar bem os locais afetados, ensaboando bem e dando preferência a sabonetes antissépticos.

Secar bem a pele após o banho, dando uma atenção especial entre os dedos dos pés.

Trocar as roupas e meias diariamente.

Evitar usar tecidos sintéticos, dê preferência aos tecidos de algodão.

Calçados abertos devem ser os preferidos.

Colocar os calçados no sol e mantê-los sempre limpos.

Evitar deixar a pele úmida por muito tempo.

Todos os cuidados citados devem ser observados, não resolvendo o problema deve ser pensado em um tratamento com a finalidade de diminuir a população bacteriana nos locais afetados, e assim, controlar sua atuação sobre a secreção sudoral.

O tratamento é feito observando os cuidados acima e a utilização de produtos sob a forma de talcos ou cremes que contém antibióticos e outras substâncias que dificultam o crescimento das bactérias.

Em caso de excesso de suor, a hiperidrose, pode-se associar substâncias anti-transpirantes, recomenda-se que só quem pode fazer a indicação do produto mais adequado é o médico dermatologista.