Os Meios Publicitários

A televisão é um meio de comunicação de massas, todo mundo assiste televisão, mesmo assim, nem sempre a televisão é o meio mais adequado para fazer uma campanha de publicidade, além de ser caro pode não alcançar o público-alvo.

Muitas vezes para determinado produto chegar ao seu alvo, um anúncio numa revista de menor tiragem pode ser o suficiente, o motivo é que uma revista de público específico chega a um número restrito de pessoas, mas essas podem ser exatamente o público-alvo do produto ou serviço anunciado.

Independentemente do orçamento disponível para a campanha, a escolha dos veículos ou mídias certos é imprescindível para não sair atirando em todas as direções.

É muito fácil gastar muito dinheiro em publicidade, os principais meios são dispendiosos e confiar uma campanha a uma agência de publicidade também não fica barato.

Por isso é muito importante que antes de dar qualquer passo, seja definido o valor que existe disponível para a campanha de publicidade e que o valor seja informado com clareza para a agência que foi escolhida ou ao seu próprio departamento de publicidade, os métodos, os meios e as pessoas que estarão envolvidas na campanha serão escolhidos também em função do valor disponível.

Se a empresa não tiver um departamento de publicidade, é bom pensar uma, duas, três ou mais vezes antes de ir em frente com uma campanha feita por amadores.

Apesar de ser mais dispendioso, é mais seguro entregar estes assuntos a quem sabe, caso contrário, arrisca-se a gastar dinheiro e outros recursos em vão, sempre é recomendado que sejam contratados profissionais, assim como em todas as áreas, a publicidade tem técnicas e métodos específicos que só os profissionais da área dominam.

Ao escolher uma agência de publicidade pense no que pretende de uma agência de publicidade, decida se quer contratá-la para um projeto de curta duração, ou para uma campanha de publicidade para maior tempo, ou será que seu orçamento permite contratar uma grande agência sem se preocupar com valores e se é isso mesmo que é pretendido.

Uma grande agência pode não ser necessariamente a melhor para a sua empresa, nem ir ao encontro às suas necessidades ou orçamento, é essencial fazer uma prospecção de mercado, marcar reuniões com algumas delas e obter referências sobre trabalhos anteriores, desta forma, vai se fazendo uma seleção, no final, será escolhida uma entre as três ou quatro que chamaram mais a atenção pelos trabalhos apresentados.

A falha de uma definição clara em relação ao papel que a publicidade deve cumprir, é no momento em que o briefing é passado ao departamento de criação, a falha de uma definição é fatal, é um erro capital que deve ser evitado.

Uma campanha de publicidade trabalha em conjunto com outras variáveis de marketing e é errado pressupor que pode substituir o papel que tem que ser cumprido por elas.

Uma boa campanha de publicidade não substitui a falta de qualidade de um produto, se a campanha for realmente boa, até irá contribuir para um mais rápido insucesso do produto ou serviço que não tiver qualidade.

Outro erro fatal é a falta de orientação estratégica, é necessário fazer opções para separar o essencial do acessório, não resolve nada querer fazer tudo para todo mundo, o resultado é não conseguir fazer nada para ninguém.

Perder a noção em relação a quem se dirige a campanha é uma falha das próprias agências de publicidade e acontece regularmente, não se trata apenas de saber quem são e onde estão os consumidores que temos como objetivo motivar, conquistar ou tornar um consumidor fiel a marca, é preciso conhecer a “fórmula” que os fará reagir positivamente a uma mensagem.

Muitas vezes as campanhas são desenvolvidas levando em consideração apenas a criatividade, o resultado na maioria das vezes é desastroso, porque a criatividade não é e nunca foi e nunca será sinônimo de eficácia.