Protegendo de Quem?

O Estatuto da Criança e Adolescente é defendido com unhas e dentes por ONGs e também por muitos juristas por supostamente proteger as crianças e adolescentes, mas chegou ao ponto que os pais não tem mais nem o direito de educar seus filhos, qualquer atitude mais enérgica, sobra para os pais.

Você já parou e se perguntou do que estão sendo protegidos?

Será que é de não serem vistos em imagens?

De não serem punidos quando praticam atos criminosos?

O Estatuto deveria sim protegê-los do assédio dos marginais adultos, deveria dar-lhes oportunidades para que se tornem cidadãos qualificados, deveria dar oportunidades a estas crianças e adolescentes e não apenas permitir que continuem a cometer crimes e ficarem sem punição, inclusive os de homicídio.

Será que não é hora da sociedade reconhecer que o Estatuto falhou e que deve ser revisto?