Otimismo Versus Realismo

A função mais importante de um plano de negócios é disponibilizar parâmetros e metas para o futuro de qualquer empreendimento, por outro lado, não pode ser deixada de lado a criação de interesse entre os investidores.

Para alcançar este objetivo, os criadores de planos de negócios são muitas vezes desafiados para determinar o nível aceitável de otimismo, ou seja, além do plano geral para o funcionamento gerando lucros eles devem criar uma história atraente para os investidores, mas mantendo a credibilidade.

O otimismo mostra aos investidores que a empresa está confiante sobre a oportunidade de mercado e a sua capacidade de aproveitar a oportunidade, entre outras coisas.

Mas o excesso de otimismo leva os investidores a acreditar que a equipe de gestão não compreende perfeitamente a oportunidade ou o caminho difícil que tem pela frente.

A verdade é que os planos de negócios devem limitar o excesso de otimismo e mostrar aos investidores que eles são realistas e assim o plano de negócios terá credibilidade.

O realismo não é o oposto do excesso de otimismo e deve ser usado em planos de negócios para retratar a empresa com sobriedade fazendo com que gere credibilidade para os investidores.

O realismo deve estar presente na direção da equipe de gestores que retratam as verdadeiras visões dos administradores, em vez de simples esboços.

O plano de negócios deve apresentar previsões realistas de mercado e as metas de crescimento da empresa que sejam viáveis do ponto de vista econômico e administrativo.

Obviamente que os planos de negócios devem animar os investidores para que eles tomem decisões que venham ao encontro da possibilidade de investir, mas se os planos forem otimistas demais, os investidores vão desconfiar.

Por outro lado, se os planos de negócios forem realistas demais, os investidores podem entender que não vai ter um retorno adequado sobre o investimento.

A conclusão que se chega é que os planos de negócios devem apresentar uma imagem convincente e otimista, mas fazer referência contínua para fatos e hipóteses realistas para construir credibilidade e emoção verdadeira.